Fundamentos de Fé: Lição 15 - A Esperança da Igreja, eternamente com Jesus

14/01/2013 09:08
A Esperança da Igreja

Chegamos ao final do curso “FUNDAMENTOS DE FÉ”, mas não poderíamos deixar de fora o assunto sobre a Volta de Jesus, que virá buscar seu povo para viver com Ele a eternidade em plenitude de vida: “... aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo” (Tito 2:13).

Este assunto é tão relevante quanto importante: Pelo que, definitivamente, empreendemos nossa força e que custou a Deus um plano de Salvação tão arrojado? (João 3:16).

Qualquer tempo aqui vivido, nesta Terra, é apenas um relance de olhar quando comparado com a eternidade. Qualquer que tenha sido aqui a qualidade de vida de alguém no seu tempo aqui nessa vida, tudo só terá sentido, lutas e vitórias, tristezas ou alegrias, se esse alguém teve o encontro pela fé com nosso Senhor Jesus Cristo, tendo-O recebido como seu único e suficiente Salvador, o que possibilitará não ser envergonhado no advento da volta de Jesus para buscar seu povo (João 1:12 – Romanos 8:18 – 2 Coríntios 4:16-18).

Essa nossa esperança é:

  • Uma esperança confortadora – 1 Tessalonicenses 4:18;
  • Uma Esperança Viva – 1 Pedro 1:3;

·         Uma Esperança Purificadora – 1 João 3:3.

E sabemos que a segunda vinda de Jesus à Terra será uma volta:

  • Pessoal – Atos 1:10-11;
  • Literal – 1 Tessalonicenses 4:16-17;
  • Visível – Hebreus 9:28, Apocalipse 1:7;

·         Cheia de glória e poder: Mateus 16:27, Mateus 25:31-34.

Precisamos conhecer alguns assuntos importantes para compreendermos melhor sobre essa nossa esperança. Por isso, nessa lição, os abordaremos resumidamente para não ficarmos despercebidos.

O que é o Fim dos Tempos?

O Fim Tempos refere-se aos eventos finais que antecedem à segunda vinda de Jesus Cristo. Vemos que TODA a Bíblia é escrita em torno do Senhor Jesus, o verdadeiro Messias, e seu reinado. É maravilhoso saber como Deus deu a visão sobre primeira vinda de Jesus Cristo ao mundo, tanto quanto como da segunda vinda, aos profetas do Velho Testamento, como Daniel, Ezequiel, Sofonias, Zacarias, Jeremias, Isaías e outros, juntamente com o registro sobre os sinais que precederiam o fim dos tempos tanto.

Há ainda outros termos na Bíblia que mencionam este período, por exemplo:

  • O fim - Mateus 24:14 – “E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim."
  •  Últimos tempos - Judas 1:18 - "Os quais vos diziam que nos últimos tempos (no fim dos tempos) haveria escarnecedores [que procuram gratificar seus próprios desejos irreverentes] que andariam segundo as suas ímpias concupiscências."
  • O tempo do fim - Daniel 12:9 - "E ele [o anjo] disse: Vai, Daniel, porque estas palavras estão fechadas e seladas até o tempo do fim."
  • Última hora - 1 João 2:18 - "Filhinhos [meninos], é já a última hora (o fim desta era); e, como ouvistes que vem o anticristo [aquele que se oporá a Cristo disfarçando-se de Cristo], também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora (o fim)."

Examinando as profecias bíblicas, podemos afirmar que o Fim dos Tempos já começou. O ponto inicial para se estudar as profecias sobre a segunda vinda de Cristo começa no sermão do monte das Oliveiras, onde o próprio Senhor Jesus predisse o que aconteceria nos dias que antecedem sua segunda vinda. Leia com o grupo Mateus 24:36-44.

Não precisamos saber a data e a hora exatas da segunda vinda de Cristo. Lemos em Atos 1:7: "E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos [suas coisas, eventos e períodos exatos] ou as estações que o Pai estabeleceu (fixou e reservou) pelo seu próprio poder". No entanto, devemos estudar as profecias a respeito fim reveladas no livro de Apocalipse “Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” (Apocalipse 1:3). Veja também Apocalipse 22:7 e 1 Tessalonicenses 5:20. Afinal de contas, 28% da Bíblia são proféticos. O próprio nome APOCALIPSE, significa REVELAÇÃO.

Sinais dos Tempos do Fim

Alguns sinais específicos preenchem as profecias bíblicas para que o Fim dos Tempos tenha início, entre eles:

  1. A formação do Estado de Israel em 1948 (Ezequiel 37);
  2. Aumento das viagens e progresso da ciência (Daniel 12:4);
  3. O sinal do engano (Mateus 24);
  4. Guerras e rumores de guerras (Mateus 24);
  5. A grande apostasia (1 Timóteo 4:1-4);
  6. Tornados, furacões e alterações no clima da Terra (Lucas 21).
  7. Textos importantes: Lucas 17:24-30 e 21:9-26; Mateus 24:3-14; 1º Timóteo 4:1-3; 2º Timóteo 3:1-5.

Examinemos agora outros assuntos importantes como A MORTE, O ARREBATAMENTO, A TRIBULAÇÃO, O MILÊNIO, O TRONO BRANCO e A ETERNIDADE.

A morte

Uma reflexão profunda sobre a nossa existência, traz-nos a convicção de que somos eternos. A própria Palavra de Deus declara: “E sabemos que tudo quanto Deus fez durará para sempre” – Eclesiastes 3:14.

A Bíblia declara que não existe a reencarnação, nem o purgatório e tão pouco a aniquilação do “SER”. Ela diz “Ao homem está proposto morrer uma só vez, vindo depois disso o juízo” (Hebreus 9:27). Devemos aproveitar nossa vida e conhecer Cristo e viver para Ele, pois após a morte não há obras

Nós somos “corpo, alma e espírito” (1 Tessalonicenses 5:23 e Hebreus 4:12). Quando a pessoa morre fisicamente, seu corpo volta ao pó, se desfazendo como matéria e o espírito volta a Deus, mas a pessoa continua a existir como alma (Gênesis 2:7 e 3:19; Eclesiastes 12:7). Logo, a alma é o ser essencial do “EU”.

 A palavra hebraica no AT usada para designar o lugar dos mortos é Sheol, e no Novo Testamento grego essa palavra é Hades.

No Novo Testamento, há três palavras diferentes, no grego, que são traduzidas pela mesma palavra inferno em português e que têm, basicamente, um significado diferente.

O inferno de Lucas 16:22,23, por exemplo, é tradução da palavra grega Hades. Hades, no N.T. é o Sheol do Antigo Testamento, e é o lugar onde os espíritos dos mortos aguardam a ressurreição.  A Bíblia deixa isso bem claro em Atos 2:27, citando o Salmo 16:10, onde Sheol é traduzido como Hades.

Por outro lado, o inferno de Mateus 23:33 é tradução do grego Gehena, refere-se ao inferno de castigo eterno. É o lugar para onde irão os injustos após o julgamento do Grande Trono Branco de Deus.

Já a palavra “inferno” em 2 Pedro 2:4 é tradução de Tártaro e é usado para referir-se à prisão dos anjos caídos, mencionados em Judas 6: "E a anjos, os que não guardaram o seu estado original, mas abandonaram o seu próprio domicílio, ele tem guardado sob trevas, em algemas eternas para o juízo do grande dia."

A palavra, no Antigo Testamento, para sepultura como um lugar de repouso para o corpo, é Queber. A palavra grega Mnemeion tem o mesmo significado no Novo Testamento.

Em toda a Bíblia, existe uma distinção muito consistente entre Sheol /Hades e sepultura. Assim sendo, Sheol, ou Hades, são usados sempre para designar a morada dos mortos.  A sepultura é apenas o lugar onde o corpo se decompõe e retorna ao pó original.

Cristo Trouxe Luz

O Antigo Testamento declara simplesmente que os mortos partiram para o Sheol - sem fazer distinção entre o lugar de repouso dos bons e dos maus. Quando Jesus veio, Ele nos trouxe uma conscientização maior da vida eterna. Um de Seus ensinamentos mais vivos e claros sobre esse assunto é encontrado na história do rico e Lázaro. Essa história está registrada em Lucas 16:19-31 (leia com o grupo), e nos dá uma descrição de como era a morada dos mortos nos dias do Antigo Testamento.

Nesta história que Cristo contou, o Sheol é apresentado como um lugar dividido em dois setores separados por um grande abismo. Um deles era um lugar de tortura e sofrimento. Esse era o destino dos injustos. O outro, chamado "Paraíso", ou "Seio de Abraão", era um lugar de descanso e conforto. Paraíso, então, era o lugar de espera dos mortos justos.

Não havia ponte, nem passagem entre o lugar dos espíritos justos e dos injustos. Mesmo se alguém quisesse atravessar, não poderia. A palavra "Paraíso" era reservada para designar a parte especial do Sheol destinada unicamente aos espíritos dos justos. Este seria o destino do ladrão arrependido, que morreu na cruz, ao lado de Cristo: "Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso" (Lucas 23:43).

Uma Mudança Dramática

Porém, algo dramático e eterno aconteceu e que mudou para sempre o destino dos justos após a morte: a ascensão de Cristo após Sua ressurreição. Depois que Cristo subiu ao céu, a Bíblia nunca mais se refere ao paraíso como estando "embaixo". Desse ponto em diante todas as referências no Novo Testamento falam da localização do paraíso como sendo “em cima" ou “no alto". (2 Coríntios 12:2-4 - Efésios 4:8-10).

Tomando esta passagem das Escrituras juntamente com as narrativas da ressurreição de Cristo nos evangelhos, aprendemos que antes de Cristo permitir que Maria Madalena ou os discípulos O tocassem, Ele desceu ao Sheol, pregou para os espíritos em prisão (1 Pedro 3:17-22). Ali Ele libertou os mortos justos que estavam no paraíso (seio de Abraão) e transferiu o seu local de espera para um lugar designado nos lugares celestiais. Foi neste ponto que Ele "levou cativo o cativeiro" ou "a multidão das almas cativas" dos mortos justos que estavam esperando no Sheol/Hades pela consumação da obra de Cristo. (João 14:1-4; Efésios 4:8-10)

Hoje, quando um crente morre, ele não vai mais para o Hades. Ele vai estar com Cristo. Leia 2 Coríntios 5:6-8 – Hebreus 9:26, 10:4 – Apocalipse 6:9-11. Ali, juntamente com os salvos de todas as épocas, ele aguarda a ressurreição dos mortos e as bodas do Cordeiro. Os mortos injustos continuam no Sheol aguardando a ressurreição e o julgamento (Apocalipse 20:13).

Mas a Bíblia fala ainda de outro céu, o céu da "Nova Jerusalém", que só será revelado após a renovação da terra pelo fogo (2 Pedro 3:12), depois do Milênio (Apocalipse 20:4-6), e depois de Satanás e todos os injustos terem sido lançados no inferno do julgamento final, após o Grande Julgamento (Apocalipse 20:10-15). Este novo céu será o céu da eternidade, a cidade que Jesus foi preparar para aqueles que O amam e aguardam a Sua vinda (João 14:1-3; Apocalipse 21:1-22).

Paulo enxergava a vida após a morte como algo infinitamente melhor que as lutas da vida terrena, por isso também tinha estabelecido o alvo de "combater o bom combate e guardar a fé" (2 Timóteo 4:7).

A Palavra de Deus dá uma descrição muito vívida sobre a vida após a morte quando diz: "Então ouvi uma voz do céu, dizendo: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem das suas fadigas, pois as suas obras os acompanham" (Apocalipse 14:13). Deus vê a morte dos justos como "preciosa", de muito valor e significado profundo (Salmos 116:5).

Seu Corpo Vai Viver De Novo?

A Bíblia diz que ”aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois disto o juízo" (Hebreus 9:27). Em Marcos 12:18-27, Jesus declarou que a ressurreição não implica numa continuação da vida como a conhecemos aqui mas sim uma transformação de existência.  Ele declarou ainda que tanto os justos como os injustos vão ressuscitar “Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão; os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo" (João 5:28-29).

Paulo diz que a ressurreição dos justos virá antes da ressurreição dos injustos (2 Tessalonicenses 4:13-16).

Nosso novo corpo será incorruptível, isto é, será perfeito e jamais se desfará (1 Coríntios 15:35-38). O corpo atual é corruptível, mortal, perecível e sujeito à morte e caracterizado por desonra, vergonha e vileza (Jó 14:17; 1 Cor. 15:53,54; Rom. 6:12; 8:11). O novo corpo será incorruptível, glorioso, imortal, imperecível (1 Cor. 15:35, 43, 54).

Quanto aos atributos do corpo ressuscitado, a Bíblia diz que "não será de carne e sangue" (1 Coríntios 15:50). Isso pode significar que nada de estrutura material será necessário. O corpo celestial nunca irá se deteriorar. Jesus disse que Ele tinha carne e ossos (Lucas 24:39). E o corpo ressuscitado durará para sempre e nunca sofrerá morte (Lucas 20:36; Apocalipse 22:5). Isso se dará no momento da ressurreição, num abrir e fechar de olhos (Mateus 24:27; 1 Coríntios 15:51-55; 1 Tessalonicenses 4:13-17).

A Segunda vinda de Jesus: O Arrebatamento, Tribulação, Revelação e Milênio

A segunda vinda de Cristo para os redimidos terá dois estágios. O primeiro é chamado "Arrebatamento". Este é o nome dado, por muitos estudiosos da Bíblia, à ressurreição dos justos conforme 1 Tessalonicenses 4:13-17. Esse arrebatamento ou ressurreição inicial dos santos vai ocorrer antes ou no início da Grande Tribulação descrita em Apocalipse 6, que coincide com a septuagésima semana de Daniel 9:24-27. Estudiosos sugerem que haverá um segundo arrebatamento na metade do período de tribulação (Apocalipse. 7:13-17).

Tribulação é o nome dado ao período de sete anos iniciado pelo acordo do anticristo com Israel, propondo uma falsa paz, conforme Daniel 9:27. Jesus disse que "Porque haverá então grande aflição (opressão), como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver [outra vez]." (Mateus 24:21). João dividiu esse período de sete anos em dois períodos de três anos e meio. Nestes sete anos, Deus enviará três julgamentos que trarão acontecimentos assombrosos aqui na terra. O Julgamento dos Selos (Apocalipse 6) - O Julgamento das Trombetas (Apocalipse 8 e 9) - O Julgamento das Taças (Apocalipse 16).

O Segundo estágio da Volta de Cristo é chamado "período da revelação". É quando Jesus vai voltar a Terra para derrotar Satanás, estabelecer Seu reino por mil anos. Durante esse período, os justos de todas as épocas, que foram arrebatados e estiveram no céu com Cristo, voltarão para reinar com Ele (Zacarias 14:5; Mateus 24:27,30; Colossenses 3:4; 1 Tessalonicenses 3:13; 4:14; Judas 14; 2 Timóteo 2:12; Apocalipse 1:7; 19:11-14; 20:1-6).

Ao final dos mil anos de reinado de Cristo (o Milênio), Satanás será solto por um pouco de tempo para seduzir as nações após si numa marcha final contra Deus, numa grande guerra contra Cristo e Suas hostes celestiais.  Essa tentativa está destinada a fracassar, e resultará no julgamento final dos injustos (Apocalipse 20:7-15).

O Dia do Julgamento

O julgamento dos justos é chamado o "Tribunal de Cristo". Não será mais julgado pelo pecado, mas sim para avaliar suas obras (Romanos 14:10; 2 Coríntios 5:10; 1 Coríntios 4:5,3:11-15). Ainda que suas obras sejam consumidas pelo fogo do julgamento, o cristão ressuscitado herdará a coroa da justiça (2 Timóteo 4:8).

Enquanto os justos estiverem sendo julgados, os mortos injustos estarão ainda no Sheol/Hades. Eles não irão ressuscitar até o julgamento do Grande Trono Branco, no fim do Milênio (Apocalipse 20:11-15). Tanto os justos como os injustos serão ressuscitados, mas um período de mil anos separa esses dois eventos.

O julgamento dos injustos virá no fim dos tempos de acordo com o conceito humano de tempo. Conforme lemos acima a Bíblia informa que no final do Milênio Satanás será solto de sua prisão seduzirá as nações da terra, para uni-las numa grande guerra contra Cristo e Suas hostes celestiais. Seus esforços vão falhar, e trarão sobre ele e seus seguidores o julgamento final. Neste ponto, então, acontecerá à ressurreição dos injustos (Apocalipse 20:5). Eles se apresentarão diante de Deus para julgamento (Apocalipse 20:12).

O TRONO BRANCO

A Bíblia deixa claro que o inferno não era o destino original do homem. Cristo morreu para impedir que a humanidade fosse para lá. Esse outro lugar foi preparado para o diabo e seus anjos, mas se fez necessário porque o homem deliberadamente escolheu aliar-se ao mal contra Deus. E o julgamento do Grande Trono Branco vai marcar a separação final entre os que escolheram seguir a Cristo e os que O rejeitaram nesta vida (Filipenses 2:9-11). E é aí que a eternidade vai começar.  (2 Pedro 3:12; Apocalipse 21:10-22:5 e 21:4-7).

Jesus usou a palavra grega "Gehena" para descrever esse inferno final. A palavra vem do hebraico Ghi-Hinnon, ou Vale do Hinon. Esse vale está situado ao sul de Jerusalém e era o lugar onde o lixo era queimado no tempo de Jesus. Nos dias dos profetas do AT existia nesse local um "lugar alto" pagão, chamado Tofete (Jeremias 7:31, 32; 19:6, 11, 14; Isaías 30:33). Aí é que crianças eram sacrificadas ao falso deus Moloque (2 Reis 23:10). O fogo nesse vale nunca se apagava, porque lixo e refugos eram lançados ali diariamente. Materiais em decomposição se acumulavam, gerando vermes e maus cheiros. Assim será o inferno final (Marcos 9:43-48).

A realidade e simbolismo do fogo na Bíblia indicam a intensa agonia e sofrimento que aguarda os perdidos no inferno. A esse conceito de fogo, a Bíblia acrescenta escuridão, choro e ranger de dentes (Mateus 8:12; 13:42, 50; 22:13; 24:51; 25:30; Lucas 13:28). A Bíblia indica a eternidade do castigo dos ímpios no inferno, isto é, a punição dos ímpios durará tanto quanto a vida eterna dos justos (Mat. 25:41 e 46, 18:8; 2 Tessalon. 1:8, 9; Daniel 12:2; Mc. 3:29; Judas 13). Não há segunda chance (Heb. 9:27; João 3:3; 8:21; Apoc. 22:11; 2 Coríntios 6:2; Amós 4:12).

Somente aqueles que confessaram seus pecados a Jesus e O aceitaram como Salvador e Senhor durante sua vida, é que conhecerão as alegrias da ressurreição com os redimidos e da eternidade na presença de Deus. É a estes que Paulo se referia quando escreveu: "Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois nós, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor" (1 Tessalonicenses 4:16, 17).

Questões para Compartilhamento:

1.       O que é o Fim dos tempos?

2.       De acordo com Jesus, o que acontece depois que a pessoa morre?

3.       Para onde vão as pessoas depois da morte?

4.       Onde era e onde é agora o lugar da morada dos mortos justos?

5.       Quando ocorreu essa mudança?

6.       Conforme Abraão na história contada por Jesus e também conforme Hebreus 9:27, existe uma segunda chance depois da morte?

7.       Quais as características conhecidas do novo corpo daquele salvo em Jesus?

8.       Como será a segunda vinda de Jesus? Será uma vinda visível?

9.       A Igreja passará pela Tribulação? Como será a Tribulação? O que é o Milênio?

10.     O que é o evento do Trono Branco?

Bibliografia:

Livro Manejando a Palavra da Verdade de Ralph Reynolds

Livro "Onde Estão os mortos?" de Rex Humbard.

Diagrama utilizado sob autorização do ministério www.tempodofim.com

Deixe sua mensagem em nosso livro de visita ou envie mensagem para:
  • Comunidade Evangélica Restauração & Vida
    • Rua Mário Miró, 211 - Vila Oficinas - Bairro do Cajurú - Curitiba - Paraná - CEP 82950-170 
    • 41-3266-1447 (Pastor) contato@comunidaderestauracaoevida.com.br

 


contador

Newsletter

Assine a nossa newsletter:

Contato

Comunidade Evangélica Restauração & Vida Rua Florianópolis, 1307
Bairro do Cajurú
Curitiba - Paraná
CEP 82930-030
41-3266-1447 (Pastor) contato@comunidaderestauracaoevida.com.br