Fundamentos de Fé: Lição 11 - Dízimos e Ofertas, Semeando no Reino de Deus

14/01/2013 08:50

“E digo isto: Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará”. E ele continua declarando: “Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, nem por constrangimento; porque Deus ama ao que dá com alegria. E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda boa obra.”( 2 Coríntios 9:6-8).

Nós estamos em divina sociedade com Deus. Ele não agirá enquanto não agirmos com Ele. Esta é uma lei eterna: Colhemos aquilo que semeamos (Gênesis 8:22 e Gálatas 6:7).

Precisamos entender o privilégio e a responsabilidade de dar. A procedermos assim, estamos na verdade dando além de ofertas em dinheiro, nosso tempo, talentos e capacidades. Muitas vezes, Deus nos ajuda para que sejamos nós mesmos a resposta às nossas orações, permitindo que outros encontrem, por nosso intermédio, o caminho que leva a Cristo. Ainda é uma grande verdade que “a alma generosa prosperará, e o que dá de beber será saciado.” (Provérbios 11:25).

Para receber, Temos que dar

Até mesmo Deus tinha necessidade do amor de Sua criação. Então, Ele deu para receber. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16).

Isto é algo que devemos aprender muito cedo em nossa vida cristã – que dar é parte dos privilégios e responsabilidades de todo o cristão.

Dízimos e Ofertas

A Bíblia diz: “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança” (Malaquias 3:10).

O ato de dar representa um dos mais lindos ministérios da Igreja. Aqueles que não entendem o plano de Deus com perfeito ao ministério de contribuir, deixam de receber bênçãos. E o mais triste é que estão perdendo algumas das mais ricas bênçãos que um cristão pode ter, porque nunca aprenderam os princípios de Deus sobre o ato de dar.

Deus estabeleceu certos princípios com relação ao ato de contribuir, e, como Igreja do Senhor, temos que entende-los princípios para receber as bênçãos que o Senhor nos quer dar como recompensa por nossa generosidade. Precisamos entender, também, que esses princípios são bons; se os colocarmos em prática, toda a nossa vida espiritual, familiar, social, física, mental e financeira será transformada! Examinemos cinco princípios básicos sobre dar:

1º Dar é plano de Deus para Seu trabalho

O apóstolo Paulo nos diz em sua carta aos Coríntios: “Quem jamais planta uma vinha e não come do seu fruto? Ou quem apascenta um rebanho e não se alimenta do leite do rebanho?... Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evangelho” (1 Coríntios 9:7 e 14).

2º Deus deseja uma contribuição voluntária

O segundo dos princípios de Deus com respeito ao ato de dar, talvez seja toda a chave do problema porque algumas pessoas dão muito dinheiro e apesar disso, não recebem bênçãos. O Senhor Deus nos fala de trazer-lhe uma oferta alçada e voluntária (Êxodo 25:2), com isso entendemos que DAR, na verdade, é aquilo que damos porque amamos, é sacrificial e ao mesmo tempo um ato de amor. Era algo que foi posto na Lei do Velho Testamento (Levítico 27:32); mas hoje, é algo que temos a liberdade de fazer porque amamos a Jesus.

Abraão, que é muito antes da Lei do Dízimo (Levítico 27:32), tornou-se dizimista em gratidão ao que o Senhor era para ele: “E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo” (Gênesis 14:20). Jacó seguiu o exemplo do avô: “E esta pedra que tenho posto por coluna será casa de Deus; e de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo” (Gênesis 28:22).

Jesus não força ninguém a dar para o Seu trabalho. Você é livre para fazer isso ou não. Mas todas as ricas bênçãos da casa do Mestre serão derramadas apenas sobre aqueles que O servem porque O amam. E dar, faz parte de seu compromisso com a Igreja do Senhor e de sua dedicação para com Ele (2 Coríntios 9:7).

A primeira preocupação do Senhor não está em quanto damos. Ele está mais interessado se fazemos com um coração generoso. “Porque se há prontidão de vontade...” Paulo explicou aos Coríntios, “... é aceitável segundo o que alguém tem, e não segundo o que não tem” (2 Coríntios 8:12). Em outras, palavras, Deus não olha para os números, o que ele procura é um coração que dá porque O ama e quer que a mensagem do Seu amor seja levada a outros.

E então, Paulo diz, Deus abençoará a dádiva. Ele não espera que demos acima e além do que podemos. Ele espera que demos com um coração alegre e disposto.  

3º “Dai e ser-vos-á dado”

O terceiro dos princípios de Deus sobre o ato de dar revela o segredo da prosperidade para aquele que dá, e isso em todas as áreas da vida, não apenas nas finanças. E mais: é a chave da prosperidade do trabalho de Deus. Esta é a razão porque dar é tão importante para a Igreja do Senhor. Isso não apenas abençoa a Igreja, mas abençoa também o doador.

 Este é o princípio de Deus: “Dai e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos deitarão no regaço)” (Lucas 6:38).

Os filhos da Igreja procedem de todos os níveis sociais e econômicos, de todos os países e raças. Deus deseja que cada um tenha uma atitude voluntária. Quando um cristão tem essa atitude, e age de acordo com ela, Deus poderá atender as necessidades do ministério na Igreja, mesmo que aquela pessoa possa dar apenas uma pequena oferta. O coração que deseja dar, e não o valor em dinheiro – é a chave para a prosperidade do trabalho de Deus. (Lucas 21:1-4).

Deus multiplicará essa oferta em benefício de sua Obra. E como Deus faz isso? A Bíblia diz: “E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que, tendo sempre em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda boa obra” (2 Coríntios 9:8).

Deus estabeleceu Seus princípios divinos de tal maneira que, se dermos o que pudermos, em breve teremos mais para dar! O plano d’Ele é a dádiva multiplicada. Seu princípio é: “quanto mais você der, mais você terá” (2 Coríntios 9:6). E quanto mais você tiver, mais poderá dar a Ele. Os discípulos logo aprendem que Deus é um Deus de prosperidade.

Todo o aspecto financeiro do trabalho de Deus foi projetado dessa forma: tomamos daquilo que temos, seja pouco ou muito, e damos a Ele porque desejamos dar. Ele, então, opera de forma que recebamos muito mais do que demos. Então, teremos mais para dar a Ele. (Leia 2 Crônicas 29:12, 13, 14, 17 e 18).

A promessa de Deus é que, se Seus filhos aprenderem a dar desta maneira prosperarão além de tudo o que poderiam imaginar. E a Obra de Deus também jamais sofrerá necessidades!

Deus é nosso provedor. E sua provisão nunca se esgota! Ele multiplicará o que damos, e nos dará muito mais de volta. E isso será um ciclo constante em nossa vida, enquanto continuarmos obedecendo a Sua palavra: “Honra ao Senhor com os teus bens, e com as primícias de toda a tua renda” (Provérbios 3:9).

Um menino com um lanche, deu tudo o que tinha a Jesus

Certo dia, Jesus e Seus discípulos estavam ao pé de uma montanha, e uma grande multidão os seguia. As pessoas, que tinham vindo de longe, estavam famintas, e Jesus Se compadeceu delas. Ele perguntou aos discípulos se alguém tinha qualquer alimento que pudesse ser dado à multidão. E André, um dos doze discípulos, disse: “Está aqui um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas que é isto para tantos?” (João 6:9). O menino provavelmente estava tão faminto quanto os demais, mas entregou tudo a Jesus. E quando o Senhor tomou e milagrosamente multiplicou aqueles pães e peixes, tornando-os uma refeição para cinco mil pessoas, o menino também foi alimentado.

A Bíblia diz que os discípulos encheram doze cestos com os pedaços de pão e peixe que sobraram, depois que todos comeram. Aquele menino poderia ter se apegado firmemente ao seu lanche; mas em vez disso ele deu tudo a Jesus, e permitiu que cinco mil pessoas famintas fossem alimentadas!

4º Deus jamais fica devendo a homem algum

Seja o que for que dermos a Deus – dinheiro, tempo, trabalho, oração, jejum ou palavras ou atos de bondade para com um irmão – isso será multiplicado e devolvido a nós. Deus devolverá de alguma forma. Na verdade Ele não apenas devolverá, mas multiplicará o que Lhe demos!

É o princípio da semeadura e ceifa, a chave para experimentarmos o melhor de Deus para a nossa vida! “Pois tudo o que o homem semear...” Paulo escreveu, “... isso também ceifará” (Gálatas 6:7).

Também aos Coríntios, Paulo escreveu: “Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e aquele que semeia em abundância, em abundância também ceifará” (2 Coríntios 9:6). A tradução literal da palavra “em abundância”, neste versículo é “com bênçãos”.

Aquele que semeia bênçãos – dando para o trabalho de Deus, testemunhando de Cristo, dando de seu tempo, esforço e orações, dando uma palavra de encorajamento a alguém que necessita será recompensado “com bênçãos”. Que grande ministério para os discípulos do Senhor!!!

E há um último princípio para ser examinado, e é um que me emociona de forma muito particular.

5º “Provai-me!”:

Em todas as outras áreas de nossa vida de fé Deus diz: “Creiam no que Eu digo a respeito.” Mas, quanto ao dar e dizimar, Ele declara: “Provai-me!” Ou seja: “Tente isso e veja se não funciona!”.

A Palavra de Deus diz: “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimentos na minha Casa, e depois fazei prova de mim – ou, provai-me nisto – diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança” (Malaquias 3:10). Deus não está pedindo que aceitemos isso apenas pela fé. Ele diz “Tentem, ponham-me à prova, e vocês verão que eu sou fiel à minha Palavra!”.

O cristão fiel certamente tem provado a realidade dessas palavras de Deus constantemente.

Entregar o seu dízimo é um ato de fé. É dar com fé e, através da fé, acreditar na Promessa de Deus e Suas bênçãos. Isso é parte do seu compromisso como discípulo fiel. É algo que você faz porque crê na Palavra de Deus e em Suas promessas com relação ao ato de dar. Você também descobre que dar é uma das chaves para alcançar bênçãos de Deus para sua vida, e orações atendidas para outras pessoas em todo o mundo.

Por fim, vamos aprender a diferença entre uma atitude fiel e uma atitude descompromissada em relação ao ato de DAR. Lemos em Gênesis 4:3-9, versículos chaves 4:3-4: “E aconteceu que ao cabo de dias, que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor. E Abel também trouxe dos primogênitos de suas ovelhas, e da sua gordura. E atentou o Senhor para Abel e sua oferta". 

No texto destacamos em negrito a diferença de atitude de Caim e de Abel, para que possamos entender a diferença em como Deus vê também nossa devoção.

1º - a Bíblia diz que: E aconteceu que ao cabo de dias, que Caim, ou seja, passado dias, Caim levou sua oferta ou sacrifício ao Senhor. O que tem isso demais? Tudo. A terra produziu o fruto de seu trabalho, mas ele não entregou de fato o melhor, entregou o que sobrou, e depois de algum tempo. Ele deu, mas não foi o melhor, não foi por adoração, foi por obrigação.

2º - com Abel foi diferente, ele trouxe dos primogênitos. Outras traduções trazem: E Abel trouxe do melhor de suas crias e das melhores partes deles uma oferta ao Senhor. O texto aqui é auto explicativo e você já deve estar na minha frente no pensamento. Sim, Abel teve seu ato de adoração aceito, pois colocou Deus em primeiro lugar.

Precisamos dar liberalmente para Deus, mas como fazer isso se nas horas de sacrificar não nos dispomos?! Veja o que o dicionário nos informa sobre a Palavra SACRIFICAR:

sacrificar, do Lat. sacrificare: v. tr., oferecer à divindade em sacrifício, em holocausto; imolar como vítima; abandonar, renunciar voluntariamente a; sujeitar a perigos; tornar vítima (alguém ou alguma coisa) de um interesse, paixão, de um fim a realizar;  v. int.,  fazer sacrifícios por alguém;  v. refl., oferecer-se em sacrifício; consagrar-se inteiramente a alguém ou a uma ideia; tornar-se vítima.

Quando se fala de sacrifício, muitos não acham que o dinheiro faz parte. Mas, no passado, quando alguém sacrificava, dava bois, cordeiros, novilhos e se a pessoa fosse pobre, dava uma pomba, além dos frutos de sua colheita. Tudo isso eram seus bens sua propriedades, era a moeda de comércio da época. Quando dava, dava algo que lhe pesava no bolso. Jacó disse: ”De tudo quanto me deres certamente te darei o dízimo". GN. 28:22.

Como e Qual a frequência?

Sempre que você tiver rendimentos, separe o Dízimo ao Senhor e também uma Oferta.

 “Honra ao SENHOR com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão fartamente os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares” (Provérbios 3:9-10).

 “Foram honestos e colocaram ali todas as ofertas, os dízimos e as coisas dedicadas a Deus...” (2 Crônicas 31.12 NTLH).

Onde dar?

Nada mais justo que fazê-lo no lugar onde mantemos nossa comunhão e serviço cristão e somos alimentados, cuidados e discipulados.

Glossário:

Oferta Alçada: do verbo alçar, levantar, sobressair. É uma oferta de gratidão ou sacrifício que fazemos por amor e fé em Deus.

Dízimo: a décima parte, dez por cento.

Regaço: lugar onde se descansa, onde se acha conforto, abrigo; colo.

Primícias: Primeiros frutos, o melhor dos frutos

NTLH: Nova tradução na linguagem de Hoje

Questões para Refletir:

  1. No que consiste o ato de DAR para a obra de Deus?
  2. Quais os cinco princípios que aprendemos sobre o ato de ser dizimista e ofertante fiel?
  3. Qual a diferença entre as atitudes de Caim e Abel?
  4. O que significa para você o texto de 2 Coríntios 9:6?<>
 
Deixe sua mensagem em nosso livro de visita ou envie mensagem para:
  • Comunidade Evangélica Restauração & Vida
    • Rua Mário Miró, 211 - Vila Oficinas - Bairro do Cajurú - Curitiba - Paraná - CEP 82950-170 
    • 41-3266-1447 (Pastor) contato@comunidaderestauracaoevida.com.br

 

Contato

Comunidade Evangélica Restauração & Vida Rua Florianópolis, 1307
Bairro do Cajurú
Curitiba - Paraná
CEP 82930-030
41-3266-1447 (Pastor) contato@comunidaderestauracaoevida.com.br