Fundamentos de Fé: Lição 10 - A Oração e o Jejum

14/01/2013 08:48

A Oração

“Pedi e dar-se-vos-á; buscai e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque aquele que pede recebe; e o que busca encontra; e, ao que bate, se abre” Mateus 7.7-8.

“E contou-lhes também, uma parábola sobre o dever de orar sempre e nunca desfalecer” Lucas 18:1

Todas as coisas são possíveis através da oração.  A Oração pode e deve ser algo tão normal quanto o respirar. Quando ela se torna parte de sua vida diária, você se liberta de muitas tensões que pode sentir em certas ocasiões de sua vida. Uma atitude constante de oração encherá você de fé e poderá tornar sua vida feliz e bem sucedida aqui na terra.

O apóstolo Paulo declara: "Exorto, pois, antes de tudo, que se façam súplicas, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens.” (1 Timóteo 2:1).

A Bíblia declara qual a primeira coisa que devemos fazer em qualquer necessidade ou situação – ORAR.

Mas a oração não é só para as horas de crise. Paulo escreveu também: “Orai sem cessar” (1 Tessalonicenses 5:17). E acrescenta: “Quero, pois que os homens orem em todo o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda” (1 Timóteo 2:8).

A oração é a principal maneira como falamos e ouvimos a Deus. Através da oração podemos ter paz em qualquer crise. Paulo novamente declara: “Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam conhecidos os vossos pedidos diante de Deus pela oração e súplica, com ações de graças; e a paz de Deus, que excede a todo entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus” (Filipenses 4:6-7).

A Bíblia inteira dá testemunhos de que a oração dá resultados:

A Palavra de Deus declara que a oração funciona agora, e sempre deu resultados.

  1. Moisés parou uma rebelião com a oração                                          Êxodo   15:24-25
  2. Gideão provou a vontade de Deus através da oração                   Juízes 6:39-40
  3. Ana teve um filho como resposta a sua oração                                1 Samuel 1:27-28
  4. Samuel derrotou uma nação inimiga por meio da oração            1 Samuel 7:9-10
  5. Salomão santificou a casa de Deus pela oração                                1 Reis 9:3
  6. Elias colocou Deus a prova através da oração                                    1 Reis 18:37-38
  7. Ezequias acrescentou anos a sua vida por meio da oração          2 Reis 20:1-2 e 5
  8. Josafá saiu de uma situação difícil porque orou                                               2 Crônicas 18:31
  9. Esdras recebeu orientação de Deus porque orou                           Esdras 8:21-22
  10. Zacarias viu realizado o sonho de sua vida porque Deus orou    Lucas 1:13-14
  11. A Igreja Primitiva foi cheia do Espírito por meio da oração          Atos 4:31
  12. Uma alma sedenta encontrou a Verdade através da oração      Atos 10:1-2 e 4

Deus tem os ouvidos abertos para todos os que O amam e se comprometeu a ouvir suas orações. E é por isso que qualquer crente em Cristo pode ter experiências maravilhosas pela oração. 

Veja o que Ele diz a você:

  • “Quando ele me invocar, Eu lhe responderei; estarei com ele na angústia, livrá-lo-ei e o honrarei” (Salmo 91:15).
  • “Então clamarás e o Senhor te responderá; gritarás e Ele dirá: Eis-me aqui” (Isaías 58:9).
  • “E acontecerá que antes de clamarem eles, eu responderei; estando eles ainda falando, eu vos ouvirei” (Isaías 65:24).
  • “Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerdes em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito” (João 15:7).
  • “Então, me invocareis e orareis a mim, e eu vos ouvirei. E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o coração” (Jeremias 29:12-13).

Descobriremos que a oração é muito importante e que as bênçãos de Deus virão a nós quando, diariamente, unirmo-nos em oração à Igreja ao redor do mundo. Acima de tudo, ORAR é uma atitude de buscar a Deus que se torna um HÁBITO REGULAR e, então, também percebemos Deus falando conosco através dela.

Princípios da Oração

Para que a oração dê resultado, precisamos aprender a usá-la de um modo apropriado.

Há algumas que impedem as orações de serem ouvidas:

  • A desobediência fecha a porta: As orações do povo de Israel foram bloqueadas porque o povo não se arrependia. Iam a lugares que Deus proibira: “Voltastes, pois, e choraste perante o Senhor; mas o Senhor não ouviu a vossa voz nem para vós inclinou os ouvidos” (Deuteronômio 1:45).
  • A indiferença pode ser um impedimento: Deus diz o que pensa e cumpre o que diz. “Então a mim clamarão, mas eu não responderei; diligentemente me buscarão, mas não me acharão” (Provérbios 1:28) – ler desde o vs. 24 ao 33.
  • Quando recusamos obedecer, impedimos a Deus de nos ouvir: “O que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração é abominável” (Provérbios 28:9).
  • O pecado impede a oração de ser respondida: “Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus, e os vossos pecados esconderam o seu rosto de vós, de modo que não vos ouça” (Isaías 59:2).
  • Mesmo os pecados secretos nos impedem de receber as bênçãos de Deus: “Se eu tivesse guardado a iniquidade no meu coração, o Senhor não teria me ouvido” (Salmo 66:18).
  • A teimosia fecha portas: “Sim, fizeram duro como o diamante o seu coração, para não ouvirem a lei, nem as palavras que o Senhor dos exércitos enviara pelo seu Espírito mediante os profetas antigos; por isso veio a grande ira do Senhor dos exércitos. Assim como eu clamei e eles não ouviram, assim também eles clamaram, e eu não ouvi, diz o Senhor dos exércitos” (Zacarias 7:12-13).
  • Uma fé instável torna a oração estéril: “Peça-a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante a onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa” (Tiago 1:6-7).
  • O Egoísmo impede o poder: “Pedi e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites” (Tiago 4:3).

As orações que alcançam o trono da graça têm cinco coisas em comum. Precisamos compreender esses cinco fatores, para que nossas orações possam ter o poder de alcançar as respostas de Deus. A Palavra de Deus declara que são necessários:

  • Arrependimento: “Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, orar e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra” (2 Crônicas 7:14).
  • Um coração dedicado: “Buscar-me-eis e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração” (Jeremias 29:13).
  • Fé: “Por isso vos digo que tudo quanto pedirdes em oração, crede que o recebestes, e tê-lo-eis” (Mateus 21:22).
  • Justiça: “A súplica feita de um justo pode muito na sua atuação” (Tiago 5:16).
  • Obediência: “E qualquer coisa que lhe pedirmos, dele a receberemos, porque guardamos os seus mandamentos e fazemos o que lhe é agradável a vista” (1 João 3:22).

A Bíblia nos diz: “Sabemos que Deus não atende a pecadores; mas, pelo contrário, se alguém teme a Deus e pratica a sua vontade, a este atende” (João 9:31). Portanto, a fim de que a oração alcance resultados, precisamos, sempre, ir a Cristo pedindo-lhe perdão dos nossos pecados (1 João 1:9). O privilégio da comunicação diária é para os que amam a Jesus. Os membros da Igreja do Senhor devem manter sua vida em atitude de temor e santidade ou então suas orações não terão poder.

Não permita que ressentimentos penetrem em seu coração. Se nossas orações estão sendo bloqueadas, seria bom examinar nosso coração para nos certificar que buscamos perdão para os pecados que cometemos. Não podemos ignorar os pequenos danos que causamos às pessoas, os atos impensados de falta de amor, ou de desconsideração para com os outros. Essas coisas se erguem e bloqueiam o caminho das nossas orações. Elas também prejudicam o trabalho que podemos fazer como Igreja de Oração.

O relacionamento interrompido com familiares ou amigos também impede nossas orações. Sentimentos de que “os céus parecem como chumbo, e não consigo orar” podem estar vindo, muitas vezes, do fato de que a pessoa está tendo problemas em casa, com o cônjuge, ou com alguém no trabalho, por exemplo.  Isso terá um efeito devastador na vida de oração de qualquer crente. Quando marido e mulher têm ressentimentos um para com o outro, sua comunicação com o Criador se interrompe. (1 Pedro 3:7). Isso é um princípio que se aplica a qualquer relacionamento.

Quando alimentamos ressentimento em nosso coração para com outra pessoa, rompemos a linha de comunicação com o céu. Essa pessoa se colocou entre Deus e nós. “Portanto, se estiveres apresentando a tua oferta no altar, e aí te lembrares que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão, e depois vem apresentar a tua oferta” (Mateus 5:23-24).

Se quisermos ter perdão, comunhão e comunicação com Deus, precisamos ter a ligação aberta entre Deus e nós, e também entre nós e nosso próximo. Todos, temos visto a tragédia de desentendimentos entre os crentes. Por vezes, a quebra de relacionamento é tão profunda que toda igreja, infelizmente, sofre. Jesus sabia como é essencial o nosso relacionamento uns dos outros, e por isso ele nos ensinou a orar: ”Perdoa-nos... como nós perdoamos aos nossos devedores” ((Mateus 6:12).

Jesus prossegue dando alguns conselhos muito práticos em nosso comportamento para com os outros: “Concilia-te depressa com o teu adversário...” (Mateus 5:25).

Orações negativas produzem respostas negativas

Se fizermos orações positivas teremos respostas positivas. Mas, se fizermos orações negativas, receberemos respostas negativas. É o princípio da semeadura e da ceifa: colhemos o que semeamos (Gálatas 6:7).

Aqueles que têm problemas na oração fariam bem se examinassem cuidadosamente suas orações. Quase sempre elas giram em torno de suas próprias fraquezas, defeitos e insuficiências. Essas pessoas focalizam tais coisas em oração até se tornarem o tema central da sua conversa com Deus. Essa é a oração negativa, e só trará um sentimento de autocondenação.

Oração real, positiva e eficiente é aquela que vai além desses pensamentos negativos para o glorioso poder de Cristo. Em outras palavras, não concentramos nossa atenção naquilo que somos ou quão fracos somos. Antes, salientamos em nossas orações o que podemos nos tornar em Cristo.

Fé significa entrar na esfera da ação.

Nada que nos é dado é realmente nosso até que o recebamos.  É assim também com nossas orações. Até que demos o salto de fé e realmente aceitemos a resposta pela fé, a oração não passa de palavras. Jesus disse: “E tudo que pedirdes em oração, crendo, recebereis” (Mateus 21:22).

Depois que oramos, de acordo com a vontade de Deus, com um coração puro e confiadamente, então receberemos. As respostas muitas vezes vêm de modos inesperados, mas sempre vêm porque a oração é a linha direta de comunicação com o Todo-Poderoso.

O apóstolo João fala no livro de Apocalipse, que nossas orações sobem ao céu, diante do Senhor Deus, e recebem fogo do altar e retornam a Terra com “vozes, e trovões, e relâmpagos e terremotos” (Apocalipse 8:3-5 e 5:8). Isso nos leva a entender que o Senhor dá importância às orações e devolve-as à Terra com Seu poder para que aconteça conforme nossa Fé.

O Jejum:

O Jejum aumenta o poder na Oração e representa uma forma pela qual se pode buscar a Deus diligentemente.  A oração e o jejum de toda Igreja dão ao nosso ministério a força necessária para destruir a influência de Satanás sobre a vida das pessoas perdidas e perturbadas deste mundo (Mateus 17:21).

Certo dia Jesus curou um menino dominado por forças satânicas. O pai do menino suplicou ao Senhor: “Senhor, tem compaixão de meu filho, porque está possuído pelo demônio, e sofre muito; pois muitas vezes cai no fogo e outras na água. Eu o trouxe aos teus discípulos, e não o puderam curar.” (Mateus 17:15-16). Depois que Cristo libertou o menino, seus discípulos Lhe perguntaram: “Por que não pudemos nós expulsá-lo?” E Jesus lhes respondeu: “Esta casta não se expele senão à força de oração e jejum” (Mateus 17:21)

Ao nos defrontarmos contra todo o poder do mal temos uma grande luta pela frente. Satanás não abandona facilmente aqueles que estão sob seu domínio. Por essa razão, Jesus nos deu o segredo para termos maior poder – O jejum unido à oração.

O propósito do jejum é dar atenção especial às necessidades da alma ao invés de nos preocuparmos unicamente com os desejos do corpo. O jejum arrebenta os grilhões dos desejos de nossa carne humana.

Quando jejuamos e oramos, Deus nos permite participar dos anseios de Seu próprio coração.  Tornamo-nos inimigos daquelas coisas das quais o coração de Deus é inimigo. Essa profunda comunhão que passamos a ter com Ele nos livra das pretensões terrenas, até que possamos entender muito melhor as questões espirituais. Um cristão dedicado n o ministério do jejum fará a diferença para a Igreja do Senhor.

As Escrituras nos ensinam que o Jejum é parte vital de nossa fé, como uma forma de abrir os amplos tesouros das bênçãos de Deus para aqueles que realmente têm necessidades urgentes.

Cristo jejuou 40 dias no deserto, antes de começar Seu ministério ativo (Mateus 4:1-2). Moisés jejuou 40 dias enquanto estava com Deus no Sinai, recebendo as tábuas da Lei (Êxodo 34:28). Elias jejuou por 40 dias quando estava fugindo do perverso Rei Acabe e da rainha Jezabel (1 Reis 19:8).

Paulo jejuava frequentemente (2 Coríntios 11:27). E Jesus disse que Seus discípulos jejuariam quando ele deixasse a Terra (Marcos 2:20). Por isso, como cristãos, devemos também jejuar para podermos resistir à grande pressão espiritual que cai sobre este mundo perdido e próximo do fim.

O jejum não precisa durar 40 dias. Pode ser um jejum de 20 dias, um jejum de 2 dias ou mesmo de uma refeição. Tudo depende da situação pela qual estamos orando, e da orientação do Espírito Santo. A duração do jejum não é o ponto importante – o importante é nossa obediência a Deus ao jejuarmos.

Jejuar não é apenas ficar sem se alimentar; é necessário a oração sempre acompanhe o jejum.

A Bíblia nos diz que devemos Jejuar.

A Palavra de Deus instrui o Seu povo a jejuar por uma série de razões:

  • Quando enfrentamos uma calamidade pública:                              2 Samuel 1:12
  • Em horas de aflição:                                                                     Salmo 35:13/ Daniel 6:18
  • Quando nos aproximamos do perigo:                                  Ester 4:16
  • Ao escolher e abençoar líderes:                                                             Atos 13:3 e 14:23
  • Em ocasiões de luto:                                                                    1 Sam. 31:13 e 2 Sam. 1:12
  • Quando nossos entes queridos estão enfermos:            2 Samuel 12:16, 21-23
  • Quando estamos em conflitos com os outros:                  Juízes 20:26
  • Em oração por necessidades pessoais:                                Salmo 109:24

Deus ouve nossas orações unidas ao jejum.

Esdras falou sobre a ocasião quando ele jejuou e orou por Israel: ”Nós, pois, jejuamos e pedimos isto ao nosso Deus; e ele atendeu às nossas orações” (Esdras 8:23).

E Deus prometeu através de Joel: “Todavia, ainda agora diz o Senhor: convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto. Rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes; e convertei-vos a o Senhor vosso Deus; porque ele é misericordioso e compassivo, tardio em irar-se e grande em benignidade, e se arrepende do mal” (Joel 2:12-13).

Se você precisa de resposta de Deus às suas orações, se precisa de misericórdia, perdão, ajuda ou bênçãos, JEJUE! Você encontrará uma dimensão de vida conhecida apenas por poucos cristãos. É um caminho de poder e provisão reservado para aqueles que se colocam à parte, jejuando e orando.

Por que o jejum não deu Resultado para Israel?

Precisamos entender de forma clara e exata como o jejum funciona e por que ele às vezes não dá resultado. O profeta Isaías diz que Israel queria manipular a Deus e essa foi a razão pela qual o jejum não deu resultado. Leia Isaías 58:3-14.

Isaías disse que não devemos jejuar com a intenção de fazer com que nossa voz seja ouvida do alto. Pelo contrário, o jejum nos coloca em sintonia com o que Deus quer em nossa vida.

O povo de Israel jejuava pelas razões erradas. Eles queriam que Deus atuasse com um servo deles. Mas Deus quer que nos coloquemos de joelhos, e acertemos nossa vida, e então nos levantemos para nos entregarmos a Seu serviço. Observe o que Deus disse para Israel fazer antes de esperar resultados positivos do jejum:

  • Vs. 5      - Arrependimento
  • Vs. 6      - Afastar-se do erro /consertar relacionamentos /cuidar dos pobres necessitados

 

Apenas então poderiam esperar as bênçãos.

A obediência é a chave do sucesso no jejum.

O jejum tem o propósito de abrir-nos para o que Deus tem para nos dar. Não é necessário jejuar para provar a Deus que somos sinceros. Ele sabe disso. O jejum faz com que tenhamos sob controle os nossos pensamentos, imaginação e impulsos, levando-nos para bem perto de Deus.

Jesus afirmou que, para ter a atitude correta quanto ao jejum, devemos nos lembrar de que se trata de um tempo muito íntimo de comunhão entre nós e Deus: Mateus 6:16-18 / Esdras 8:23 / Daniel 10:12.

Questões para Refletir:

  1. O que é a oração para você?
  2. O que nos acontece quando levamos a Deus nossas necessidades conforme filipenses 4:8? O que isso significa para você hoje?
  3. Quais os impedimentos à eficácia da Oração? Você já teve orações “bloqueadas”?
  4. Quais os princípios para o sucesso na oração?
  5. O que ressentimentos, mágoas e falta de perdão causam à oração?
  6. O que é uma oração Positiva?
  7. O que é jejum? Quando provamos sua eficiência?
Deixe sua mensagem em nosso livro de visita ou envie mensagem para:
  • Comunidade Evangélica Restauração & Vida
    • Rua Mário Miró, 211 - Vila Oficinas - Bairro do Cajurú - Curitiba - Paraná - CEP 82950-170 
    • 41-3266-1447 (Pastor) contato@comunidaderestauracaoevida.com.br

 


contador

Newsletter

Assine a nossa newsletter:

Contato

Comunidade Evangélica Restauração & Vida Rua Florianópolis, 1307
Bairro do Cajurú
Curitiba - Paraná
CEP 82930-030
41-3266-1447 (Pastor) contato@comunidaderestauracaoevida.com.br