COMO O AMOR SE MANIFESTA

12/05/2010 23:53

Introdução:

João 13:34-35 “ – Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.”

Recentemente, realizei três casamentos em nossa comunidade. Em todos inclui algumas verdades relacionais sobre o amor, as quais são muito importantes para o desenvolvimento do relacionamento matrimonial, familiar e para círculos de amizade. Gostaria de compartilhar com você, alguns pensamentos sobre esse tema maravilhoso chamado AMOR.

O amor não é sentimento. Sentimentos vêm e vão. O amor não precisa da chama da paixão ou no caso de círculos de amizade, não lhe precisa que tudo pareça harmonioso, e todos com aquela cara de que tudo está bem, para continuar vivendo e agindo nas pessoas.

Aliás, há pessoas que vivem intensamente o amor Eros (paixão) ou vivem em círculos de amigos (mas fechados em suas necessidades) e ainda assim sentem-se frustrados em seu relacionamento, pois lhes faltam algumas características importantes que só podem ser desenvolvidas quando as entendermos e trabalharmos por elas.

É necessário envolvimento, empatia (sensibilidade em ouvir a necessidade das pessoas), abnegação e altruísmo. Para essas características é preciso de esforço e dedicação para conseguirmos dar afeto sem antes receber.

Neste estudo estaremos examinando cada uma dessas características e algumas dicas práticas de como isso pode ser desenvolvido por cada um. Começaremos por ENVOLVIMENTO.

1º Envolvimento:

Envolver-se é deixar-se ser revestido de algo. No caso positivo do termo, falamos da questão familiar, conjugal ou de amizades, onde precisa ser trabalhado em nós a questão de que, se não nos expusermos, se não houver abertura de coração, não haverá desenvolvimento sadio do relacionamento.

Há pessoas que são casadas ou  que fazem parte de uma família ou de círculo de amigos e que por anos se relacionam e, contudo, são como completos estranhos. Basta  sentirem que estão se expondo demais ou que alguém está entrando em áreas de ACESSO RESTRITO e, instintivamente, lançam mãos de suas defesas (afastamento, sentimentos de orgulho ou inferioridade, reações de grosseria ou pena de si mesmos, etc.).

O sistema é tão complexo que achamos que isso é normal e que todo mundo é assim.

Não posso deixar de admitir que existem reservas e que há áreas em que não nos sentimos a vontade para compartilhar, mas o que quero abordar nessa questão é que, quando isso se torna crônico, o que é fato para a maioria dos relacionamentos de hoje, vivemos uma farsa de relacionamento, um campo onde expomos apenas o que achamos conveniente e para isso podemos até mesmo "fabricar" uma imagem irreal de quem somos.

Como não existe nada oculto que não haja de ser revelado (Lucas 12:2), demonstramos que existe dentro de nós carências quando agimos com defensivamente, conforme mencionei acima. É por isso que desentendimentos, demandas, esfriamentos e indiferenças no relacionamento são sentidas pela outra parte (cônjuge, família, amigo, etc.).

Na psicologia, aprendemos sobre a janela de JOHARI que fala de quatro EU´s:

1)    Imagem aberta - Você sabe quem é e os outros sabem que você é, uma área mais fácil de ser tratada e de haver mudanças, não que não haja resistência apenas é mais sensível a mudança;

2)    Imagem cega - Você não sabe que é mas os outros sabem que você é. Isso é muito complexo, não se trata apenas das opiniões das pessoas a nosso respeito, mas é uma questão do conceito que elas têm de nós que fazem com que tenham essas opiniões. Dois exemplos extremos. Duas pessoas sabem que você tem determinado potencial mas que é propenso a desistir, de vontade fraca. As duas podem manipular o que elas vêm em você e que você não está enxergando. Uma pode explorar sua falta de vontade para que você nunca chegue a transformar seu potencial em fato, e a outra pode explorar seu potencial para que você aprenda a não desistir.

3)    Imagem secreta - Você sabe que é mas os outros não sabem que você é, claro que Deus sabe, mas aqui é terra que nasce muita culpa seja pelos bons potenciais que não se revela, seja pelas fraquezas e desvios de caráter que não se vê claramente, a culpa prolifera, pois é muita pressão para não se expor demais;

4)    Imagem desconhecida -Nem você nem os outros sabem que você é;

Disso podemos ver as distorções que fazem surgir o Eu que penso que os outros vêem em mim e o Eu que quero que os outros vejam. O desafio é para nós conhecermos o nosso Eu oculto e o Eu que os outros vêm, e para nossos amigos o Eu que somos de fato.

A matéria é longa e nos faria sair do foco deste estudo, então, retornando ao ENVOLVIMENTO, a Igreja deve trabalhar essa questão de uma maneira que cada um possa desenvolver seu relacionamento conjugal, familiar, e círculos de amizade de maneira sadia.  É missão da Igreja providenciar que a Palavra de Deus, que é poderosa para revelar as intenções do coração – Hebreus 4:12-12, atue na vida de cada discípulo e derrube os conceitos distorcidos pelo pecado, ou pelas marcas da vida – 2 Coríntios 10:3-6.

De maravilhoso fica que Deus sabe tudo que somos (realidade) e o que podemos ser (potencialidade) e nós podemos desenvolver n’Ele quem seremos (oportunidade): " - SENHOR, tu me sondaste, e me conheces. - Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. - Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos" SALMOS 139-1-3. Ó glória, ó vitória, ó esperança bendita!!!!

2º Empatia:

Texto bíblico Gálatas 6:2 - Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo.

(Colossenses 3:13) - Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.

Definição: de em + Gr. páthos, estado de alma,: capacidade psicológica para se identificar com o eu de outro, conseguindo sentir o mesmo que este nas situações e circunstâncias por esse outro vivenciadas.

Na prática, não é tão fácil ser empático com os outros, mesmo porque Empatia acaba se confundindo com Simpatia quando se trata de problemas que os outros passam ou quando as idéias têm afinidade. Mas, como alguém disse, para se conhecer alguém é necessário "comer um quilo de sal com ela", ou seja, leva tempo para não ser indigesto.

É muito importante aprendermos a reconhecer os sinais e canais de comunicação que as pessoas nos mostram. Estes sinais identificam a maneira como cada pessoa entende nossa manifestação de amor: Alguns sinalizam que precisam de nossa qualidade de tempo e atenção para eles, outros precisam ser ouvidos, ainda outros carecem palavras de afirmação, ou de receber presentes, de serem lembrados ou tocados (este último é muito peculiar especialmente entre casais e pais e filhos).

Para isso, nós mesmos precisamos estar "alimentando-nos de Jesus", ou seja, aprendendo com Nosso Senhor sobre o amor. O Dr. Augusto Curi, em seus livros fala muito da mensagem de Jesus como exemplo de empatia, entre outras características.

Jesus Cristo é o verbo que se fez carne. É Deus que se tornou homem (João 1:1-2, 2 Coríntios 5:18), e como ser humano,  foi um homem como qualquer outro: sofreu, chorou e viveu momentos de extrema ansiedade. Apesar disso, foi perfeito na capacidade de perdoar, respeitar, compreender, ter misericórdia e dignidade. Mas, principalmente, foi brilhante na habilidade de amar.

Ele não se perturbava com o mau comportamento dos outros, pelo contrário, aproveitava cada momento de fraqueza deles para ensinar importantes virtudes como a paciência, a tolerância, o perdão e a humildade. Mais do que ter Simpatia pelas pessoas, ele se preocupava em dar-lhes o que realmente precisavam: antes de curar o paralítico que foi levado pelos amigos, ele disse: "Filho os teus pecados são perdoados" (Lucas 5:20) pois, mais do que a própria cura, a necessidade mais íntima do então paralítico era libertação de sua alma.

Li no livro "Pais brilhantes, professores fascinantes" - Dr. Augusto Curi, Editora Sextante , a história de um menino que era violento na escola e estava a ponto de ser expulso. Um professor resolveu trabalhar como ele e mesmo com decepções após decepções enfim vislumbrou sinais de melhora e evolução, a partir de quando foi descobrindo problemas e mágoas no seio familiar daquele garoto. Não que possamos justificar todas nossas atitudes ruins ou boas simplesmente culpando o meio em que vivemos ou experiências que vivenciamos no passado, mas que elas contribuem e afetam quem somos, é inegável. O professor só conseguiu ajudar o menino quando teve empatia profunda por sua situação e entendeu que suas reações eram sinais que esse passava carências e necessidades em especial na área relacional.

Ter empatia é fundamental para não desistirmos de nossos relacionamentos. Como lemos no texto bíblico acima, é necessário levar as cargas uns dos outros e suportar-nos uns aos outros, para cumprir a "Lei de Cristo", que é o Amor (João 13:34). Suportar quer dizer: dar suporte; sustentar; agüentar; estar debaixo de; sofrer; tolerar. )Se tiver oportunidade, leia o livros as 5 linguagens do amor, de Gary Chapman, ed. Mundo Cristão)

Nosso próximo assunto, ABNEGAÇÃO, nos mostrará como o esforço pelo relacionamento traz excelentes resultados para manifestarmos o Amor.

3ºAbnegação e Altruísmo

Então vejamos como o dicionário nos define a palavra.

Abnegação: do Lat. abnegatione, s. f., renúncia da própria vontade; desapego do interesse próprio;generosidade com sacrifício; altruísmo, isenção.

A definição em si já mostra-nos os rumos da conversa de hoje. Mas como creio que a Palavra de Deus é soberana em suas posições, recorro a ela para entrar mais nesse tema, em especial ao livro de I Coríntios 13:4-8, nas palavras do apóstolo Paulo:

“ 4 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. 5 Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; 6 Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; 7 Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 8 O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; “

Jesus, não é menos enfático, leiamos Mateus 5:39-48: “9 Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra; 40 E, ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa; 41 E, se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas. 42 Dá a quem te pedir, e não te desvies daquele que quiser que lhe emprestes. 43 Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo. 44 Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; 45 Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos. 46 Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo? 47 E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também assim? 48 Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus”.

Amar quem não nos ama? Amar quem não demonstra afeto por nós? Isso não é tarefa fácil. Todavia podemos aprender a amar como o Senhor Jesus nos ensina, é um aprendizado que demanda tempo e interesse. Porém, vamos limitar um pouco a abrangência desse estudo e falar de como deveríamos demonstrar amor pelos nossos familiares, cônjuges, amigos e irmãos em Cristo.

Você já notou que o que deveria ser mais fácil é uma tarefa por vezes mais árdua? Suportar e amar as pessoas que nos são mais próximas. Deixamos escapar palavras ferinas, deixamos de dar-lhes expressões de amor que eles tanto precisam, guardamos rancor, nos fechamos e nos magoamos tanto com eles, que podemos chegar até mesmo ao endurecimento e desinteresse no relacionamento?

Você acha que isso não é verdade? Olhe quantas pessoas de nosso círculo de amizades passa por problemas de afirmação pessoal, atritos matrimoniais, rescaldos familiares, ressentimentos entre amigos, indiferença espiritual, uns para com os outros.

Por quê? Porque o egoísmo, a busca de nossos interesses e necessidades (mesmo que legítimas), cegam-nos para as necessidades do próximo, e incapacitam-nos a dar-lhes o que tanto carecem, porque nós também desesperadamente precisamos.

A abnegação, é um passo sacrificial que damos em prol de nossos relacionamentos. É como a história daquela mãe que numa noite de extremo frio e neve debaixo de uma ponte, tirou toda sua roupa e agasalhou seu nenê, e ainda ficou por cima da criança a fim de dar-lhe o máximo de seu calor. Custou-lhe a vida, mas aquela criança foi salva. Ou daquela mãe no Rio de Janeiro, que flagrada pelas câmeras do reportes, pulo num poço de 4 metros de profundidade e com muitos ferros de construção à mostra para salvar seu filho de sete anos que se afogava. Sacrifício é dar mesmo que não receba.

 

E o mais sublime amor, expressado na morte de Jesus Cristo na cruz, morto em sacrifício pelos nossos pecados e para salvar a humanidade. João 3:16.

Sacrifício é privação voluntária em benefício de outrem, renúncia.  O maior exemplo disso, como já falamos, é Jesus: (Mateus 20:28) - Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos

É sabido que muitos não sabem dessas lições, porque o Evangelho de hoje está muito voltado a outros assuntos subjacentes a obra de Cristo. Deveríamos nos ocupar em aprender de Jesus, e tirar lições de abnegação que salvariam nossos relacionamentos, tanto quanto temos aprendido na fé gloriosa nos assuntos de prosperidade, dons espirituais, adoração, etc., veja Mateus 11:29 “Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas”.

Altruísmo: Nossas vidas terão menos frustrações quando esperarmos menos em receber e mais em dar (isso é o que chamamos de altruísmo), quando estivermos mais dispostos a sofrer pelas pessoas, e entender que elas também são desesperadas por relacionamentos consistentes e constantes. Como dar o que não temos? Sofrer apenas por sofrer, é coerente? isso é o que veremos em nosso próximo assunto, que concluirá este estudo. Mas digo-lhe que todo sofrimento deve ter um objetivo. Jesus teve em seu sofrimento, leiamos:

  • Isaías 53:11 “Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos; porque as iniqüidades deles levará sobre si”.
  • 2 Coríntios 5:19 “Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação.

Reconciliar é congraçar; absolver; restituir à graça divina; restabelecer a paz entre pessoas desavindas; harmonizar.

Nós também devemos ter objetivo quando sofremos por alguém ou algo. O apóstolo Paulo disse em 1 Coríntios 9:26 “Pois eu assim corro, não como a coisa incerta; assim combato, não como batendo no ar”. Temos de ter propósito.

Deus criou o homem para louvor da sua glória. O plano de redenção e todo o sacrifício de Jesus visam retornar o homem ao objetivo inicial: ser louvor da glória de Deus. Assim também nosso sacrifício, nossa abnegação, nosso altruísmo, deve ter como propósito trazer a satisfação em nossos relacionamentos, mas isso no plano de Deus só acontece quando estamos mais dispostos a dar que receber - (Lucas 6:38). Meu desejo é que esse assunto possa ser de fato uma força de mudança e vitória para sua vida.

Vejamos algumas dicas de como ter atitudes de amor uns pelos outros. Como vamos falar de praticar com o CORAÇÃO, preciso definir minha compreensão do termo.

Coração, para o povo hebreu e para a maioria dos povos orientais, não é agir apenas com emoção (esse pensamento é de influência ocidental), então precisamos quebrar esse paradigma e entender a visão do povo hebreu. Para eles o coração se manifesta como PENSAMENTO, VONTADE E SENTIMENTO. Salomão disse em Provérbios 4:23 "Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida." E ainda em (Provérbios 27:19) - " Como na água o rosto corresponde ao rosto, assim o coração do homem ao homem. " Por aí, entendo que o CORAÇÃO na visão bíblica, é que somos de fato, e as saídas da vida é a maneira como ele se manifesta: Pensando, sentindo, e agindo.

Vejamos os conselhos a seguir organizados em grandes grupos: Casamento, Filhos, Amizades/familiares/comunidades.

1º - Casamento: O grande problema que casais encontram é viver apenas no afã do FOGO DA PAIXÃO. A paixão é volúvel e temporária (varia em grau e tempo de duração), é que os sentimentos vêm e vão de acordo com circunstâncias, e com as pressões que estão sobre o casal (finanças, idade, filhos, interferência familiar, ocupação tempo, etc.). Para que o amor permeie o relacionamento, precisamos cultivá-lo, e isso se faz descobrindo a maneira como seu cônjuge percebe o amor; existem diversas maneiras de perceber, mas tem uma que é predominante e abre as portas do coração. Abaixo segue um sumário de dicas do Dr. Gary Chappmann, em seu livro as 5 linguagens do amor, que podem ajudar a renascer não apenas a chama da paixão, mas a chama definitiva e duradoura do amor:

  • Palavras de Afirmação: Para quem precisa que se verbalize o amor em forma de palavras encorajadoras (você consegue, acredito em você, vamos conseguir superar, conte comigo, você é capaz, estamos juntos nessa) que mais do que termos, são frases que ligam a verdade do coração ao som da voz. Palavras bondosas (eu lavo a louça pra você, meu bem!! Eu te amo!, Você é linda, etc.). Palavras humildes (Você poderia me ajudar com isso? Querida, me perdoe fui tolo em magoá-la. Você me perdoa? E perdôo e esqueço o que aconteceu, vamos começar de novo). Bem, são apenas idéias, o mais importante, é que o coração esteja ligado nisso, ou seja, estarmos decididos a expressar de verdade.
  • Qualidade de tempo:  Passar tempo juntos, fazendo coisas juntos, passear, ter momentos de qualidade a sós: esses momentos podem ser sutis como assistir juntos a um filme, sair para comer pipoca no parque, comer uma pizza ou cachorro-quente, andar de mãos dadas... Será que seu cônjuge não está esperando isso de você?
  • Receber Presentes: Não está relacionado necessariamente ao valor ou sequer a imponência do presente, mas em surpreender o cônjuge: Um cartão, um bilhete, um perfume, o preparar de um jantar com o prato preferido, o sair para jantar fora, um par de brincos, um colar, uma gravata, um cd de músicas, flores (cuidado se sua mulher for alérgica). Aquilo que você sabe que vai agradar. Mas, se precisar e você tiver condições, pode investir financeiramente (só não entre em dívidas!!!). Tem pessoas que sentem a expressão de amor quando são lembradas com presentes. Não esqueça as datas especiais (aniversário do cônjuge e aniversário de casamento, dia dos namorados, dia do primeiro encontro). A sua presença pode ser um presente: tire um dia de folga e ao invés de dormir até mais tarde presenteie sua esposa com o dia da folga dela - diga: hoje a arrumação da casa é por minha conta!!! Vocês verão as surpresas decorrentes.
  • Formas de Servir: Roupas limpas e passadas, prato predileto, cuidado dos filhos, organização do lar podem ser mais que simplesmente dons de uma mulher prendada, podem ser expressões de amor ao esposo que tem como base FORMAS DE SERVIR. Lavar a louça, limpar o jardim, não deixar pasta de dente no espelho ou roupas jogadas por toda a casa, não entrar de sapato sujo no piso limpo, submeter-se ao chefe chato no na empresa pelo sustento da casa,  podem ser expressões de FORMAS DE SERVIR ,do esposo para a esposa. Um e outro precisam desenvolver o reconhecimento das tentativas de servir do seu cônjuge;
  • Toque Físico: Mais do que carícias amorosas e excitantes, o toque físico é um poderoso veículo de expressão de amor e reconhecimento. Andar de mãos dadas, beijar, abraçar, cafunés, massagear os pés ou costas, ou mesmo um simples toque afável na face do rosto, trazem afirmação a uma pessoa que tenha o Toque Físico como canal de percepção de amor;

Pratique, converse com seu cônjuge em como ele ou ela sente que você deva expressar-lhe amor. Utilize o que ele/ela disser como base para você desenvolver-se. Cuidado: mesmo que o cônjuge use o momento para desabafar ou incitar uma briga, lembre-se que você está investindo no amor e no relacionamento e isso leva tempo. Salomão diz: (Provérbios 15:1) - " A RESPOSTA branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.   Acima de tudo, não espere receber nada em troca ele ou ela, talvez ainda tenham de aprender o caminho que você já começou a trilhar."

2º - Filhos: Você pode adaptar os conceitos acima e utilizar bastante recursos para entender como seu filho percebe o amor. Recordo-me de muitas coisas boas e ruins em meus pais, mas honro-os ainda hoje com perdão, respeito, e interesse. Mas o que me marcava positivamente, e muito, era quando a família estava reunida e fazia coisas juntas (praia, churrasco, assistir um filme, passear no parque).

Minha filha Isabel é a terceira das quatro. Certa vez eu estava compenetrado assistindo à TV, e ela começou a fazer “coreografias” na minha frente, lembro-me que afastei-a com a mão para sair da frente da minha visão da TV, torci meu tronco balancei a cabeça, enquanto ela insistia em "me tirar a concentração", disse para ela "sai da frente menina", mas ela insistia. Após alguns instantes assim, percebi que ela estava querendo vencer a competição da TV com ela pela minha atenção. Então, dei-lhe a atenção. Emociono-me todas as vezes que lembro disso.

Queridos, valorizem seu tempo com seus filhos, reconheçam seus esforços na escola, dêem os parabéns quando fazem o que é certo, não deixe de corrigi-los quando errarem, mas não o façam na ira, cumpram o que prometerem, não prometam nada como forma de negociação, ensinem e sejam o exemplo de caráter, honestidade, e de verdadeiros cristãos. Tenho muito a falar disso. Em outra oportunidade falarei especificamente aos pais. Quero, contudo, deixar um verso do poeta americano Robert Herrick, que fala como os momentos passam rápido, e não voltam:

Colhe teus botões de rosa enquanto podes.

O velho tempo está sempre correndo,

Esta florzinha que hoje te sorri,

Amanhã estará morrendo.

3º - Amigos /Familiares/ Comunidade: Novamente, podemos utilizar as linguagens do amor como ponto de partida para desenvolver também nossos demais relacionamentos, com algumas adaptações. Observa-se, porém, que muitos relacionamentos de hoje estão fadados ao fracasso por causa da desconfiança, de experiências passadas que impedem que nos abramos a um relacionamento de amizade verdadeira. Salomão diz em Provérbios 18:19: "O irmão ofendido é mais difícil de conquistar do que uma cidade forte; e as contendas são como os ferrolhos de um palácio".

Então vemos que é necessário também investimento, sacrifício e desprendimento para sararmos a importante de amizade e amor, pois "Em todo o tempo ama o amigo e para a hora da angústia nasce o irmão”. (Provérbios 17:17)

 "O óleo e o perfume alegram o coração; assim o faz a doçura do amigo pelo conselho cordial." (Provérbios 27:9)

Estamos terminando este estudo “COMO O AMOR SE MANIFESTA”, sabendo que o assunto não se extingue e que abordamos apenas alguns pontos importantes. Todavia, cada um de nós pode ampliar o estudo lendo, praticando, vivenciando, compartilhando, fazendo registros, etc..

Mesmo assim, é importante que todos compreendam que AMOR não é apenas sentimento, o AMOR manifesta-se por atitudes, esforço, ambiente de perdão e ... recomeços ... sempre.

Fiquem na paz

* O Livro "As Cinco linguagens do Amor", de Gary Chapmann é da Editora Mundo Cristão. Procure adquirir esse livro. Uma excelente leitura.

 

Contato

Comunidade Evangélica Restauração & Vida Rua Florianópolis, 1307
Bairro do Cajurú
Curitiba - Paraná
CEP 82930-030
41-3266-1447 (Pastor) contato@comunidaderestauracaoevida.com.br